Selo 30 anos
Fone: (11) 3285-4422

Pergunte para o Dr

Receba resposta de suas dúvidas. Se preferir, deixe na mensagem seu telefone para um contato mais rápido.


Geriatria e Andropausa

Menopausa

A expectativa de vida depende dos cuidados com a Saúde, desde alimentação, atividades físicas e psicoemocionais com cuidados médicos e exames preventivos com tratamentos que tem evoluído continuamente.

Consultas médicas preventivas devem ser realizadas periodicamente com exames específicos para cada caso, levando-se em conta a ocupação, atividades diárias e de lazer, para a elaboração de um aconselhamento amplo de saúde com dietas e atividades que variam para cada paciente.

A geriatria cuida, previne e trata de doenças relacionadas ao envelhecimento.

Mais de 15 milhões de pessoas tem mais de 60 anos no Brasil, e a vida média do homem tem aumentado em todos os cantos do mundo, chegando a mais de 80 anos e com estimativa de passar o centenário em algumas décadas.

A idade não é o principal no que diz respeito à Saúde do homem e sim as condições do seu organismo e a qualidade de vida que pode levar. Com a chegada da idade, algumas doenças são mais frequentes, como as osteoporoses, neuropatias, distrofias musculares, e há o agravamento de doenças como a diabetes, cardiopatias entre outros.

A indisposição geral motivada pelas alterações hormonais podem ser evitadas com a reposição do hormônio masculino com critérios, uma vez que muitos hormônios podem estimular os tumores da próstata.

Uma dieta balanceada e exercícios adequados são à base de uma boa saúde, acompanhada de exames médicos periódicos. Faça exames cardiológicos (cardiologista) e prostáticos (com urologista) anualmente.

Procure orientação médica, faça um checkup periodicamente.

Andropausa

Homens a partir de 40 anos, devem iniciar os exames preventivos, principalmente com relação à Próstata, Cardiologia entre outros.

O que acomete a saúde masculina é um tipo de hipogonadismo, ou queda do hormônio masculino, e quando essa queda é acentuada, é um fenômeno conhecido como Andropausa. A testosterona sérica apresenta um declínio gradual e progressivo com o envelhecimento.

A saúde sexual pode ser avaliada como um mecanismo que levará a conclusões sobre a saúde do homem. As dosagens anuais da testosterona, o hormônio masculino que começa a declinar a partir dos 45 e 50 anos, são de muita relevância. Segundo pesquisas científicas, 33% dos homens acima dos 60 anos sofrerão desse mal, devido à diminuição da produção da testosterona.

Essa queda hormonal pode ser caracterizada a partir dos seguintes sintomas:

  • Alterações de humor
  • Cansaço
  • Sensação de perda de energia
  • Diminuição da libido e disfunção erétil
  • Perda de massa óssea e massa muscular.

Além disso, a próstata (glândula sexual masculina) sofre alterações com aumento do tamanho e tumores que podem ter tratamentos satisfatórios desde que no inicio.

As principais dúvidas dos pacientes são

Diminuição da Disposição Geral

Diabetes x Disfunção Erétil

A diabetes afeta a ereção peniana devido a neuropatia diabética, lesões dos nervos que controlam o fluxo sanguíneo.

Quando a glicose (açúcar no sangue) apresenta níveis descontrolados, o risco de disfunção erétil causada por diabetes é maior do que se os níveis forem mantidos sob controle.

Mais da metade dos homens que sofrem de diabetes poderão ao longo do tempo desenvolver a disfunção erétil ocorrendo também em homens mais jovens.

Hipertensão x Impotência Sexual

O fluxo sanguíneo pode estar associado à disfunção erétil/impotência sexual e à pressão alta.

A hipertensão arterial faz com que os vasos estreitem, impedindo o fluxo normal, afetando a ereção, bem como alguns medicamentos utilizados, o fluxo sanguíneo normal é fundamental para evitar a disfunção erétil. Há tratamentos adequados para cada caso.

Prostatectomia x Ereção

Após a cirurgia da próstata, seja endoscópica ou prostatectomia radical ou parcial, surgem duvidas quando a impotência sexual afeta emocionalmente o homem.

Após a recuperação cirúrgica, surge uma expectativa quanto ao retorno das condições sexuais, que depende da cirurgia e tratamentos realizados em cada caso, como extensão da cirurgia, presença ou não de tumores, tratamentos com radioterapia, quimioterapia entre outros.

O tratamento pode ser clínico ou cirúrgico com implante de prótese peniana, muito comum, restabelecendo as condições sexuais.

Andropausa x Impotência Sexual

A andropausa com a diminuição da testosterona leva a diminuição do libido, irritabilidade, cansaço, impotência sexual, perda de massa muscular, depressão, ansiedade entre outros sintomas, que agravam com a idade e sem tratamentos adequados. A reposição hormonal entre outros tratamentos podem melhorar os sintomas.

Dr Fujisaki atende homens de todas as idades, considerado um especialista na área sexual, já que as especialidades se completam: urologia, andrologia e geriatria.

Tema: Andropausa